Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Primeira empresa privada autorizada a visitar a Lua deve fazê-lo já em 2017

Missão à Lua resultará, possivelmente, a extração de recursos do satélite. Viagens turísticas serão também uma opção a ser considerada pela empresa.


A Moon Express sagrou-se oficialmente a primeira empresa privada a obter autorização para viajar para lá da órbita terrestre. Na segunda metade de de 2017 planeia visitar a Lua.

        "Estamos agora autorizados a explorar o oitavo continente da Terra, a Lua, procurando conhecimento e recursos para expandir a esfera económica terrestre para o benefício de toda a humanidade", comenta Bob Richards, co-fundador e chefe-executivo da Moon Express.

         Todas as atividades comerciais no Espaço tinham sido limitadas à órbita da Terra, mas, depois de meses de conversações com os responsáveis governamentais, a companhia recebeu luz verde da Administração Federal da Aviação (FAA) para ultrapassar esses limites.

        A Moon Express tornar-se-á, assim, na quarta entidade a alunar, depois dos Estados Unidos, a antiga U.R.S.S. e a China terem-no feito. Segundo a Quartz, a decisão da FAA não abre um precedente para futuras explorações espaciais comerciais, isto é, cada nova proposta empresarial será avaliada individualmente até que sejam promulgadas leis que regulem esta atividade.

"Escolhemos ir à Lua, porque é um bom negócio", revela Naveen Jain, co-fundador da empresa. Uma vez na Lua, os exploradores planeiam colher água e hélio-3, criar um depósito de combustível e eventualmente promover viagens de ida e volta. O turismo, a extração de recursos e o desenvolvimento de tecnologia são três outras hipóteses a considerar.

Em novembro de 2015, o Ato de Competitividade do Lançamento Espacial Comercial tornou os recursos eventualmente extraídos por empresas privadas fora da órbita terrestre propriedade dessas companhias.

A ideia desta empresa sedeada na Florida partiu do Google Lunar X-PRIZE, um concurso internacional que promete 30 milhões de dólares (pouco mais de 26 milhões de euros) à entidade privada que alunar, viaje 500 metros na superfície da Lua e transmita daí vídeos em HD para a Terra. A Moon Express espera agora ganhar a competição.

Fonte: dn.pt