Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Morreu o cientista da mais longa experiência do mundo


Morreu o cientista da mais longa experiência do mundo

Fotografia © Universidade de Queensland
Durante 52 anos, John Mainstone deu continuidade a uma experiência laboratorial que já vinha de 1927. O professor morreu na sexta-feira, mas já tem sucessor.
John Mainstone morreu durante o sono, de ataque cardíaco, aos 78 anos. Estava no hospital, acompanhado de uma das filhas e de dois cardiologistas que ensinara. Para a história fica como o investigador que, durante 52 anos, teve a responsabilidade de acompanhar uma experiência laboratorial começada em 1927 por Thomas Parnell, na universidade de Queensland, na Austrália.
Esta investigação tem por objetivo demonstrar que algumas substâncias que aparentam ser sólidas são, de facto, líquidas, por intermédio de um instrumento que não é mais do que um micro-funil de vidro.
Desde o início do projeto, em que foi usada uma substância da família do alcatrão, usada em barcos, pingaram oito gotas.
A experiência valeu a John Mainstone e a Thomas Parnell o Ig Nobel (uma paródia ao prémio Nobel) da Física em 2005 e a presença no livro dos Recordes do Guinness.
Tal como o projeto continuou após a morte de Thomas Parnell, em 1948, também com a morte de Mainstone está já assegurada a sua continuidade. Além das três câmaras de vigilância que permitem observar em direto se há algum pingo a cair (o que nunca aconteceu, nem ao vivo nem através das câmaras), já foi nomeado um sucessor: Andrew White. Talvez este investigador tenha mais sorte e consiga ver uma gota.

domingo, 25 de agosto de 2013

PlayStation 4 chega a Portugal a 29 de novembro


PlayStation 4 chega a Portugal a 29 de novembro

Fotografia © DR
A Sony anunciou que o quarto modelo da PlayStation estará disponível nos EUA a 15 de novembro e na Europa, América Latina e Austrália a 29 do mesmo mês. A PS4 substitui a PS3, que foi lançada no mercado europeu em março de 2007.
Entretanto, a concorrente Microsoft anunciou que lançará também na mesma altura a Xbox One.
A nova PlayStation virá para o mercado por 399 euros. Desde que foi anunciada, a Sony refere que já tem mais de um milhão de pré-encomendas da nova consola em todo o mundo.
Por cá, a Fnac criou uma página para que seja possível a reserva da nova consola da Sony.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Desvendado mistério com 30 anos sobre galáxias



Galáxia 3C353, observada na banda rádio. Os jatos, com uma extensão total superior a 391 mil anos-luz, são emitidos por uma galáxia elíptica, que aparece apenas como o “ponto” brilhante no centro da imagem.

Galáxia 3C353, observada na banda rádio. Os jatos, com uma extensão total superior a 391 mil anos-luz, são emitidos por uma galáxia elíptica, que aparece apenas como o “ponto” brilhante no centro da imagem.Fotografia © NRAO/AUI
Uma equipa internacional de astrónomos, liderada por investigadores do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), conseguiu desvendar o mistério, com 30 anos, sobre os núcleos ativos de galáxias, informou hoje a instituição.
Em comunicado, o CAUP assinala que a equipa "descobriu que o meio interestelar de algumas galáxias elípticas [que têm a forma de uma esfera ou elipse] é tão poroso que até cerca de 90 por cento da radiação ionizante consegue escapar à absorção pelo meio interestelar" (material que preenche o espaço entre as estrelas, sobretudo gás e poeira).
"Como consequência, o próprio meio interestelar torna-se também incapaz de emitir energia suficiente sob a forma de luz visível, resultando em luminosidades muito baixas nas riscas de emissão do gás ionizado, quando comparado com raios-X ou rádio", adianta a nota.
Citado no comunicado, o investigador do CAUP Polychronis Papaderos realça que os resultados das novas observações, de maior resolução, "fornecem a solução de um enigma com 30 anos e um novo modelo conceptual, com o qual a família dos núcleos ativos de galáxias se torna muito mais simples".
Os núcleos ativos de uma galáxia são uma região relativamente pequena no centro de uma galáxia, que "apresenta uma intensa emissão de radiação eletromagnética".
A radiação ionizante é radiação produzida pelas estrelas "com energia suficiente para promover a ejeção de eletrões de átomos e moléculas". A radiação eletromagnética é um de vários tipos de radiação ionizante e corresponde às bandas de raios-X e raios gama.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Galo "astronauta" de Barcelos visita cidade natal


O galo de Barcelos que foi ao espaço e que agora "mora" na Galiza, onde aterrou, vai visitar no sábado a sua "cidade natal", pela mão do cidadão que o encontrou no seu quintal, informou hoje o responsável pela iniciativa.

Segundo Marco Neiva, a visita acontecerá a pedido "de muitas famílias" e terá lugar em pleno recinto da Mostra de Artesanato de Barcelos, onde pontificam os galos de Barcelos.
Na mostra, podem já ser vistas as mensagens que os artesãos do concelho escreveram expressamente para o "galo astronauta" levar "na bagagem" para a sua subida até mais de 33 mil metros de altitude. Uma aventura que teve lugar a 27 de julho, com partida de Barcelos, num balão movido a hélio e que, além do galo, levou vários sistemas de localização e duas câmaras, que captaram imagens ao longo de todo o voo.
À partida, o balão tinha cerca de dois metros, mas foi aumentando de volume à medida que ia subindo, tendo rebentado quando atingiu 33.252 metros de altitude.
Acabando por cair, uma hora e 45 minutos depois de ter sido lançado, num quintal em Melon, na Galiza, Espanha, a cerca de seis quilómetros do local inicialmente calculado.
Os responsáveis pela iniciativa já se tinham, entretanto, posto a caminho, acabando por localizar o dono do quintal.

domingo, 18 de agosto de 2013

Curiosity grava eclipse entre as duas luas de Marte



A Nasa divulgou na quinta-feira um vídeo feito pela sonda Curiosityque mostra Fobos, a maior lua de Marte, a passar em frente a Deimos, a lua menor dos dois satélites naturais do planeta vermelho. Esta é a primeira vez que uma missão a Marte regista um eclipse entre as duas luas.

A Nasa explica que nas imagens é possível ver "com clareza" as grandes crateras existentes em Fobos. Para tal, foi usada uma teleobjetiva pela câmera Mastcam.
Estas imagens podem ajudar os cientistas a conhecer melhor as órbitas das duas luas de Marte. "O objetivo final é melhorar o conhecimento da órbita para que possamos medir melhor as forças de maré de Fobos na superfície sólida de Marte, ficando a conhecer melhor o interior do planeta", explicou Mark Lemmon, da Universidade Texas A&M e investigador da Mastcam.
Fobos tem menos de 1% do diâmetro da Lua da Terra. Contudo, como está muito mais perto do planeta, visto da superfície, ela parece ter cerca da metade do tamanho do nosso satélite natural.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Google reconhece que Gmail não tem total privacidade



A Google reconheceu em documentos judiciais que os utilizadores do serviço de correio eletrónico Gmail não devem ter "expectativas razoáveis" de que as suas comunicações são confidenciais.
A falta de privacidade do Gmail é salientada num texto de 30 páginas que foi apresentado na terça-feira pelos advogados da Google nos tribunais de San José, no norte da Califórnia, Estados Unidos, na sequência de uma queixa coletiva em que a empresa é acusada de espiar os internautas, informou na quarta-feira a imprensa norte-americana.
"A Google abre, lê e adquire ilegalmente conteúdo privado dos correios eletrónicos das pessoas", refere a denúncia apresentada em maio.
A empresa alega que esta batalha legal não tem fundamento e defende que as suas práticas se ajustam à lei vigente.
A Google realça que as leis federais sobre escutas isentam de responsabilidade as empresas dedicadas a comunicações eletrónicas se os utilizadores aceitarem que as suas mensagens sejam intercetadas, como é o caso dos utilizadores do Gmail quando abrem uma conta.
Um dirigente da organização Consumer Watchdog afirmou que a Google "admitiu finalmente que não respeita a privacidade" e exortou todos aqueles que pretenderem manter as suas comunicações em privado a não utilizarem o Gmail.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

13 MIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Chegámos ás 13 MIL VISUALIZAÇÕES!!!!!!!!!!!!!!!!

PARABÉNS!

Portuguesa desenvolve condensador "vital" para carros elétricos


Portuguesa desenvolve condensador "vital" para carros elétricos

A popularização dos carros elétricos pode estar mais perto graças a um condensador que suporta temperaturas mais elevadas, desenvolvido por uma equipa liderada pela cientista portuguesa Tatiana Correia, no Laboratório Nacional de Física britânico.
A cientista reivindica que este novo equipamento, cuja patente já foi registada e que pode ser usada para fins industriais, vem ultrapassar uma das dificuldades técnicas que até agora estava a travar a indústria automóvel.
"Com este condensador de alta temperaturas, acreditamos ter resolvido um problema importante e que desempenhará um papel vital no progresso para a massificação do mercado dos carros elétricos", afirmou.
Os condensadores são essenciais para o armazenamento de energia e para a conversão da corrente contínua, gerada pela bateria em corrente alternada, necessária para fazer o motor funcionar.
Os existentes não são adequados para os carros elétricos, porque não suportam bem as temperaturas elevadas geradas no processo, como refere o Laboratório Nacional de Física britânico (NPL, na sigla inglesa).
O condensador desenvolvido na instituição, com material cerâmico, aguenta mais de 200 graus centígrados, muito acima dos 125 graus dos concorrentes, como destaca o documento do NPL.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Campo magnético do Sol vai sofrer inversão de polaridade


Campo magnético do Sol vai sofrer inversão de polaridade

Fotografia © Rodrigo Cabrita/Global Imagens
O campo magnético do Sol vai completar uma inversão de polaridade nos próximos três a quatro meses , um processo que ocorre todos os onze anos, informou na quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.
"Esta mudança terá consequências em todo o sistema solar", adiantou o físico solar Todd Hoeksema, da Universidade de Stanford, na Califórnia, em declarações divulgadas pela NASA.
A inversão de polaridade -- o polo norte passa para o sul e vice-versa -- ocorre no fim de cada ciclo solar, quando o magnetismo interno do Sol se reorganiza.
Durante esta fase, que os físicos denominam Máximo Solar, as erupções de energia podem aumentar os raios cósmicos e ultravioletas que chegam à Terra, algo que pode interferir com as comunicações por rádio e afetar a temperatura do planeta.
A influência magnética solar, mais conhecida como heliosfera, estende-se por milhares de milhões de quilómetros para lá de Plutão e é captada pelas sondas Voyager, lançadas em 1977 e que agora giram em torno do limite do espaço interestelar.

LG coloca botões na parte de trás do novo smartphone


O presidente da secção de comunicações móveis da LG, Jong-seok Park, com o novo aparelho

O presidente da secção de comunicações móveis da LG, Jong-seok Park, com o novo aparelhoFotografia © REUTERS/Brendan McDermid
A empresa sul-coreana LG apresentou nesta quarta-feira, em Nova Iorque, o novo smartphone 'G2', com sistema Android, que tem a novidade de ter botões na parte de trás.
O G2 da LG é o primeiro smartphone que não apresenta botões nas laterais. É na parte de trás que se encontram os botões de volume e de desbloqueio. Segundo o site da LG "os telemóveis cresceram mas as mãos não, o que torna ainda difícil a tarefa de aceder aos botões laterais", deste modo, o posicionamento dos botões na parte de trás do dispositivo permite "um maior controlo dos mesmos, uma vez que é aqui onde, naturalmente, se posicionam os dedos indicadores".
O telemóvel G2 tem um sistema operativo Android Jelly Bean 4.2.2, ecrã de resolução Full HD (1080x1920) tem 5,2 polegadas e concentra 424 píxeis por polegada. O processador é Snapdragon S800 quadcore, o modelo mais recente apresentado pela Qualcomm.
A câmara de 13 megapixels está equipada com um sistema de estabilização óptica de imagem (Optical Image Stabilizer). Sistema que evita que a imagem fique desfocada e permite que fique mais nítida, mesmo quando é capturada em movimento ou em ambientes com pouca luz.
O novo smartphone pretende competir com telemóveis topo de gama, como o Samsung Galaxy S4, o HTC One, o iPhone 5 da Apple ou o Nokia Lumia 925.
O G2 estará disponível em mais de 130 redes em todo o mundo. Não foi divulgado o preço nem precisão de lançamento em Portugal.

Há 9 mil anos havia homens a viver junto ao Tamisa


Trabalhos arqueológicos no cemitério de Bedlam

Trabalhos arqueológicos no cemitério de BedlamFotografia © Direitos reservados - Crossrail

Arqueólogos descobriram provas de que os humanos viveram perto do rio Tamisa, em Inglaterra, há cerca de 9 mil anos.

A descoberta foi feita durante a escavação do túnel para o novo comboio de Londres, o Crossrail. Estas escavações estão a ser acompanhadas por uma equipa de arqueólogos que aproveita para investigar o subsolo da cidade e está a trabalhar em mais de 40 sítios arqueológicos da capital inglesa.
Os arqueólogos acreditam que os habitantes pré-históricos de Londres usavam aquele local para extrair e preparar as pedras do rio de modos a produzir instrumentos. Foram encontrados ali cerca de 150 peças em sílex.
Segundo o arqueólogo Jay Carver, citado pela BBC, "esta é uma descoberta única e fascinante pois demonstra que o homem voltou a Inglaterra, em particular ao vale do Tamisa, após uma longa ausência durante a Idade do Gelo". "A concentração de peças em sílex mostra que este era um local privilegiado para arranjar matéria prima para os instrumentos."
Também foram encontrados em Liverpool Street uma estrada romana, em muito bom estado, e uma peça em ouro, datada do século XVI, o que muito surpreendeu os cientistas. Os arqueólogos acreditam que esta peça, semelhante a uma moeda, era usada como um pendente.
No próximo ano, os arqueólogos planeiam escavar 3 mil esqueletos de Bedlam, de um cemitério do século XVII perto de Liverpool Street.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Desgelo do Ártico bateu recordes em 2012


Desgelo do Ártico bateu recordes em 2012

Fotografia © REUTERS/Michael Studinger/NASA
Em 2012, o aumento do nível do mar e de emissão de gases de efeito de estufa superaram limites históricos, segundo um relatório da Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA).
"Os níveis de carbono estão a aumentar, os níveis do mar estão a subir, o gelo do Árctico está a derreter e o nosso planeta está a tornar-se um lugar mais quente", referiu a diretora da NOAA, Kathryn Sullivan no comunicado divulgado online dia 6 de Agosto.
O ano que passou, encontra-se entre os 10 anos mais quentes desde que há registo, o oitavo ou nono dependendo dos dados utilizados. Os Estados Unidos da América e Argentina tiveram o ano mais quente da sua história e o Alasca e partes da Ásia, tiveram um ano mais frio que o normal, revela o documento de 260 páginas publicado na revista da Sociedade Americana de Meteorologia.
O estudo elaborado por 384 cientistas de 52 países revelou que o gelo do Árctico alcançou o seu nível mínimo em setembro (2,12 milhões de quilómetros quadrados) e que a neve no hemisfério norte também alcançou mínimos históricos.
As temperaturas das superfícies dos oceanos também aumentaram, admite a NOAA. Houve um aumento de temperaturas inclusive nas profundidades dos oceanos.

Mona Lisa mais pequena que a espessura de um cabelo



Mona Lisa mais pequena que a espessura de um cabelo
O Instituto de Tecnologia da Georgia, nos Estados Unidos, levou a cabo uma pesquisa liderada por Jennifer Curtir que conseguiu desenhar 'La Gioconda' com 30 micras de largura através de um microscópio de força atómica.
Cientistas do Instituto de Tecnologia da Georgia, nos Estados Unidos, conseguiram 'pintar' o famoso quadro de Leonardo Da Vinci "Mona Lisa", numa área com 30 micras de largura, ou seja, num espaço equivalente a um terço da espessura de um cabelo. A micra é uma unidade de comprimento correspondente a milésima parte do milímetro.
A equipa que criou assim o chamado "Mini Lisa" usou uma técnica que pode ser usada no fabrico de dispositivos. A imagem foi projetada com um microscópio de força atómica num processo de nanolitografía termoquímica.
Pixel a pixel, a equipa apenas com a variação de calor cria em moléculas tons mais claros e mais escuros de cinzento. Cada pixel é separado por 125 nanómetros, (unidade de medida de comprimento do Sistema Internacional equivalente a 10 elevado a -9 de um metro).

Curiosity ontem fez um ano em Marte



Curiosity faz um ano em Marte
Fotografia © NASA/Handout via Reuters

A sonda norte-americana Curiosity completou ontem um ano em solo marciano, durante o qual recolheu mais de 190 gigabits de informação e captou mais de 70 mil imagens, passos essenciais para uma futura missão tripulada ao planeta vermelho.

"Quanto mais soubermos sobre Marte, mais informados estaremos para enviarmos astronautas", disse o responsável científico dos programas marcianos na NASA, Michael Meyer, citado num comunicado da agência espacial norte-americana.

Para o cientista, que se manifestou "extremamente satisfeito" com o primeiro ano da sonda em Marte, "a missão Curiosity foi espetacular". Com o tamanho de um pequeno jipe e uma tonelada de peso, a sonda aterrou a 6 de agosto do ano passado em Marte, num momento seguido por curiosos e entusiastas um pouco por todo o mundo.

Desde então, a sonda "recolheu mais de 190 gigabits de informação, enviou mais de 36.700 imagens de tamanho real e 35 mil imagens em miniatura, fez mais de 75 mil disparos de laser para investigar a composição de objetos, recolheu e analisou amostras de duas rochas e conduziu mais de 1,6 quilómetros", conclui a NASA.

Estes dados, recolhidos com recurso aos seus dez instrumentos, permitiram concluir, pela primeira vez, pela possibilidade de Marte ter tido vida microbiana no seu passado longínquo, alcançando em menos de metade da duração prevista da missão (pelo menos dois anos) aquele que era o seu principal objetivo científico.

"Sabemos agora que Marte teve condições favoráveis à existência de vida microbiana há milhares de milhões de anos" lembrou o diretor científico da missão, John Grotzinger. "Foi muito gratificante este sucesso, mas também abriu o nosso apetite por mais conhecimento", acrescentou.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Hambúrguer de laboratório enfrenta teste de sabor

Hambúrguer de laboratório enfrenta teste de sabor

Fotografia © DR
O professor holandês Mark Post, da Universidade de Maastricht, na Holanda, apresentou o primeiro hambúrguer criado a partir de células estaminais de vaca. Demorou três meses a crescer numa placa de petri e custou 250 mil euros.
O hambúrguer de 142 gramas foi cozinhado diante dos jornalistas num restaurante na capital britânica, pelo chef Richard McGeown, antes de ser provado por dois voluntários. O projeto foi financiado pelo co-fundador do Google, Sergey Brin.
O objetivo da carne artificial, que Post acredita possa ser uma realidade nas prateleiras dos supermercados dentro de dez a 20 anos, é cortar nos milhões de toneladas de gases de efeito de estufa que são libertados anualmente pelo gado. E assim ajudar a combater o aquecimento global. Esta carne artificial pode ainda ser aceite pelos vegetarianos, já que diminuiria dramaticamente a necessidade de matar os animais, escreve a Sky News.
"Para poder ter sucesso, tem que ser igual, ter a mesma textura, e, esperamos, o mesmo sabor, que um verdadeiro hambúrguer", escreve Post num comunicado, divulgado na sexta-feira. Este hambúrguer inclui cerca de 20 mil fios de proteína criados em laboratório, assim como ingredientes mais tradicionais, como sal, pão ralado e ovo. Contem ainda sumo de beterraba e açafrão, mas dar cor.
A experiência foi seguida no site assim como no Twitter.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, a produção anual de carne deverá crescer para 376 milhões de tonelada métricas até 2030, das 218 milhões de toneladas métrias em 1997-1999.

domingo, 4 de agosto de 2013

Foguete japonês levou o primeiro robot ao espaço


O robot é inspirado na personagem de manga Astro Boy

O robot é inspirado na personagem de manga Astro BoyFotografia © REUTERS/Toru Hanai/Files
O Japão lançou hoje com êxito um foguete de carga com mantimentos para a equipa da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla inglesa) e o primeiro robot que vai ao espaço para fazer companhia a um astronauta japonês.
O foguete tipo H-2B foi lançado às 04:48 de sábado (20:48 de sábado em Lisboa) da estação espacial da ilha de Tanegashima, na província japonesa de Kagoshima.
Cerca de 15 minutos depois de ter sido lançado, e uma vez em órbita, a unidade de carga (Konotori IV) separou-se do foguete em direção à estação espacial, onde se espera que chegue na sexta-feira, segundo a agência japonesa (JAXA).
O Konotori IV transporta uma carga de 5,4 toneladas, que abrange dois satélites Ardusat com sensores de medição de radiação produzidos pela empresa espanhola Libelium, comida, água e roupa para os seis astronautas que formam a equipa permanente da ISS.
Na carga do Konotori IC segue também o robot Kirobo para fazer companhia ao astronauta Koichi Wakata, o primeiro japonês a comandar a ISS. Esta será a primeira experiência do género no espaço.
O robot, equipado com uma câmara de reconhecimento facial e outra para gravar imagens, está programado para comunicar com alguma autonomia com humanos em japonês e para gravar e transmitir mensagens, podendo melhorar o entendimento entre astronautas e a equipa de controlo de controlo na Terra.

Meteoritos podem estar a caminho da Terra




Cerca de 20 asteróides poderão entrar na atmosfera terrestre, tal como aconteceu com o meteorito que caiu este ano, na Rússia.
A bola de fogo que a 15 de fevereiro cobriu os céus de Tchelyabinsk, na Rússia, poderá repetir-se em breve.
Uma dupla de astrónomos espanhóis da Universidade Complutense de Madrid (UCM) acredita que a Terra está ameaçada por um grupo de cerca de 20 asteróides que poderão ter um impacto tão grande ou maior que aquele que se fez sentir este ano na Rússia, o maior desde Tunguska, em 1908, que se crê ter sido o sítio onde terá caído um pequeno meteorito.
No entanto, apesar da ameaçadora previsão, os espanhóis afirmam que terão de continuar a observar os corpos celestes e a fazer simulações quanto às suas órbitas para encontrar os meteoritos que maior perigo possam causar num cenário de colisão com a Terra. O que pode nem acontecer, dada a dificuldade em prever a reação quando em contacto com o campo gravitacional dos planetas.
No caso do asteróide que caiu na Rússia, não foi possível antever a queda do astro devido à posição do sol. A onda de choque da rocha espacial, cujo tamanho rondava os 18 metros e pesava cerca de 11 mil toneladas, provocou estragos em inúmeros edifícios e feriu cerca de mil pessoas.
Cenário do impacto do meteorito em Tchelyabinsk
As conclusões destes cientistas foram publicadas na revista mensal da ‘Royal Astonomical Society’. O tamanho dos corpos celestes identificados varia entre os 5 e os 200 metros.
Os astrónomos da UCM apontam que estes sejam pequenos fragmentos de um meteoro gigante que se tenha separado algures no tempo nos últimos 40 mil anos.
Apesar de identificar o maior asteróide do grupo, o 2011 EO40, como sendo aquele que maior probabilidade terá de colidir com a Terra, o estudo afirma que seriam precisos dois anos contínuos de observação da sua órbita para fazer uma previsão acertada.
Reveja o vídeo do impacto do meteorito que em fevereiro caiu na região de Tchelyabinsk.



Fonte: Correio da Manhã

sábado, 3 de agosto de 2013

Plantar o deserto para diminuir o dióxido de carbono


Um hectar plantado com plantas Jatropha pode capturar até 25 toneladas de dióxido de carbono por ano, durante 20 anos, segundo um estudo científico hoje revelado.

Um grupo de cientistas alemães desenvolveu um projecto para capturar dióxido de carbono de forma natural, através da plantação de árvores "Jatropha curcas" em zonas áridas. Um projeto que recebeu o nome de "agricultura de carbono" (em inglês 'carbon framing').
O método para a captura de dióxido de carbono de forma sustentável foi liderado por Klaus Becker da Universidade de Hohenheim em Stuttgart. Segundo o próprio, "'Carbon farming' atua sobre a origem do problema: a emissão de dióxido de carbono pela actividade humana." O estudo foi publicado no jornal científico Earth System Dynamics da União Europeia de Geociências.
A planta mais adequada para a captura de CO2 é "Jatropha curcas" uma oleaginosa originária do México e da América Central, mas que cresce na maioria dos países tropicais. Devido a à sua resistência é ideal para a plantação nas zonas secas e quentes.
Segundo o estudo uma plantação que ocupe 3% do deserto árabe pode, por exemplo, absorver em um par de décadas todo o dióxido de carbono produzido durante o mesmo período de tempo pelos veículos na Alemanha.

Galo de Barcelos foi ao espaço


No dia 27 de julho, Marco Neiva lançou um galo de Barcelos para o espaço. A subida chegou aos 33 mil metros.

Graças ao sistema de geolocalização, o galo de barcelos foi recuperado na zona de Melón, na Galiza. Tinha sido encontrado por um agricultor local.
O projeto, da autoria de Marco Neiva, contou com o suporte técnico do Projeto Balua e o apoio da Associação de Artesãos "O Galo".

Vídeo jogo ajuda Edward Snowden a escapar à CIA


Vídeo jogo ajuda Edward Snowden a escapar à CIA

O vídeo jogo "Snowden 3D Run" foi desenvolvido por Michele Rocco e pretende ajudar Snowden a fugir dos espiões da CIA.
O ex-consultor dos serviços secretos norte-americanos tem despertado a simpatia de muitos. Os protestos de solidariedade surgem das mais variadas formas, a mais recente foi a criação de um jogo que pretende ajudar o ex-informático a fugir dos espiões da CIA.
O jogo foi desenvolvido, em apenas 30 horas, pelo belga Michele Rocco, tem uma mecânica simples e recria o conhecido vídeo-jogo "Temple Run.
O jogo é gratuito e está disponível quer para telemóveis com o sistema operativo Android OS, quer para computadores, e em breve chegará aos dispositivos fabricados pela Apple.
Apesar de o jogo conter erros, devido ao seu precipitado desenvolvimento, "Snowden Run 3D" segundo o jornal espanhol online ABC garante diversão enquanto une os jogadores numa onda de solidariedade para com Snowden.
Veja no seguinte link:

Cientistas acreditam que a Terra teve duas luas


Ilustração do momento em que a pequena lua terá embatido na maior, a que hoje conhecemos

Ilustração do momento em que a pequena lua terá embatido na maior, a que hoje conhecemosFotografia © DR
A segunda lua, mais pequena, formou-se quase ao mesmo tempo que o nosso satélite natural e sobreviveu durante milhões de anos, até chocar com a nossa atual lua.
A teoria desenvolvida por Erik Asphaug, científico planetário da Universidade de California em Santa Cruz e Martin Jutzi, da Universidade de Berna, foi apresentada num simpósio da Royal Society.
Asphaug referiu que "a segunda lua terá durado apenas alguns milhões de anos, depois terá colidido com a Lua, dando origem ao grande corpo que hoje vemos" cita a versão online do jornal britânico 'Telegraph'.
Segundo os cientistas, a evidência da existência da "outra lua" pode ser explicada pelas diferenças misteriosas entre os dois lados da lua, o visível e o oculto.
Como já haviam proposto os dois astrónomos num artigo publicado na revista Nature em 2011, foi a colisão da mini-lua com a própria Lua que deu origem aos relevos acentuados que caracterizam a sua face oculta.
Para os cientistas, a explicação mais plausível para as diferenças das faces da lua, foi o impacto com outro corpo. "Ocorreu uma grande colisão, que afectou uma das faces e que, embora tenha tenha causado a fusão de toda a superfície do satélite, causou uma assimetria." Explicou Asphaug.