Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

domingo, 31 de março de 2013

Código de barras faz 40 anos


Código de barras faz 40 anos


Quarenta anos depois do seu aparecimento, o código de barras continua a ser uma ferramenta importante para as cadeias de distribuição e para os consumidores, disse à Lusa um responsável da GS1, empresa que gere esta tecnologia em Portugal. 


Em entrevista à Lusa, o diretor executivo da GS1 Portugal (Codipor-Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos), João de Castro Guimarães, informou que a celebração desta tecnologia vai começar na quarta-feira (03 de abril) e só termina em 2014.
Na quarta-feira, a GS1 Portugal vai divulgar alguns trabalhos sobre o código de barras, entre os dias 20 e 23 de maio, a efeméride vai ser assinalada na Assembleia-Geral da GS1 em Los Angeles, nos Estados Unidos, com a apresentação do livro "The Secret Life of the Bar Codes", de John Berry, e, em fevereiro, de 2014 vai ser feito um balanço no Fórum Global em Bruxelas.
O diretor executivo da GS1 Portugal salientou que este ano celebra-se os 40 anos da seleção de um 'standard' (norma) único para a identificação dos produtos e em 2014 comemora-se a primeira leitura de um código de barras.

"Os códigos de barras ajudaram a implementar a distribuição, revolucionando processos de negócio e dando maior eficiência às cadeias de valor", explicou, realçando que em Portugal esta tecnologia só foi implementada em 1985.
O diretor executivo da GS1 Portugal contou à Lusa que as bases da criação do código de barras foram lançadas em 1948 nos Estados Unidos por Joe Woodland e Bob Silver, que desenvolveram um sistema para um supermercado de bairro capaz de identificar os produtos à saída da caixa.

sábado, 30 de março de 2013

Facebook vai apresentar o seu próprio 'smartphone'

Facebook vai apresentar o seu próprio 'smartphone'

O Facebook deverá apresentar na próxima quinta-feira, dia 4 de abril, um 'smartphone' com sistema operativo Android dedicado à rede social, informou esta sexta-feira a imprensa especializada. 

O Facebook convocou uma conferência de imprensa para dia 4 de abril com o objetivo de apresentar uma versão modificada do sistema operativo Android - desenvolvido pelo gigante da internet Google - que inclui "características adequadas para o Facebook". Isto de acordo com o 'site' TechCrunch.
Segundo a AFP, O novo 'smartphone' será fabricado pela HTC de Taiwan, mas o seu 'design' será a autoria do Facebook, acrescentou o site 9to5google.
"Venha ver a nossa nova casa no Android", escreve o Facebook no convite enviado à comunicação social convidada para o evento de apresentação, que terá lugar no campus da cidade de Menlo Park, na Califórnia (oeste dos Estados Unidos).

Há muito tempo que o Facebook disse não ter intenção de fabricar o seu próprio 'smartphone', mas agora vai fazer o acesso à sua rede num sistema operativo móvel.
Um estudo encomendado pelo Facebook e publicado esta sexta-feira, diz que os 'smartphones' se tornaram os melhores amigos dos americanos.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Nave tripulada russa faz viagem em tempo recorde



A nave russa Soyuz-08M, que transportava os cosmonautas russos Pavel Vinogradov e Alexandre Misurkin, e o astronauta norte-americano Christopher Cassidy, atracou à Estação Espacial Internacional (EEI) depois de realizar o primeiro voo tripulado "expresso".


Segundo a Agência Espacial da Rússia (Rosco-mos), a Soyuz TMA-08M, que descolou às 0.44 horas de Moscovo (20.44 em Lisboa) da base Baikonur, é a primeira nave tripulada a chegar à EEI de "forma rápida", que permite reduzir de 48 para 6 horas a duração do voo.
Antes, este novo "modo expresso" foi utilizado com êxito durante várias missões da nave russa de carga Progress.
"A manobra de atracagem efetuou-se às 06.32 horas de Moscovo (02.32 horas em Lisboa) em regime automático, precisou a Roscosmos, acrescentando que a nova tripulação permanecerá em órbita durante 168 dias.
O russo Vinogradov é o cosmonauta mais experiente, contando com duas missões espaciais. O astronauta norte-americano Cassidy realizou uma viagem à EEI a bordo de um transportador da NASA, enquanto Misurkin realiza o seu primeiro voo espacial.

Fonte: Diário de Notícias Virtual

quinta-feira, 21 de março de 2013

Planck mostra uma imagem da infância do Universo

Planck mostra uma imagem da infância do Universo


O telescópio espacial europeu Planck, lançado em 2009, revela uma imagem do Universo tal como era apenas 380 mil anos depois do Big Bang. 

"Ousámos olhar o Big Bang de muito perto", o que permitiu "uma compreensão da formação do Universo" vinte vezes melhor que antes, felicitou-se o diretor-geral da Agência Espacial Europeia (ESA), Jean-Jacques Dordain, apresentando em Paris os primeiros resultados do trabalho do Planck.
A imagem confirma a teoria do Big Bang como origem do Universo, mas existem alguns detalhes inesperados que vão exigir aos cientistas ajustar algumas das suas ideias.
Apesar de o mapa "se parecer um pouco como uma bola de rugby ou a uma obra de arte moderna, posso assegurar-vos que alguns cientistas trocariam os seus filhos por esta imagem", afirmou George Efstathiou, astrofísico da Universidade britânica de Cambridge. "Porque é uma imagem do Universo tal como era apenas 380 mil anos após o Big Bang", quando a temperatura era de três mil graus.
Antes disso, o Universo era tão quente que a luz não podia escapar. O Planck capturou em todo o céu o registo fóssil dos primeiros fotões (partículas de luz) que surgiram no cosmos, viajando mais de 13 mil milhões de anos para chegar até nós.
O mapa dos céus agora divulgado baseia-se em dados recolhidos durante 15 meses pelo telescópio espacial Planck, que custou 600 milhões de euros.

quarta-feira, 13 de março de 2013

ALMA nasce com descoberta no currículo


Telescópio foi inaugurado hoje no Chile

O maior telescópio do mundo foi inaugurado hoje no deserto de Atacama, no Chile
O ALMA, o maior telescópio do mundo, que abre uma nova janela de observação para as distâncias mais longínquas do universo e que foi inaugurado no deserto de Atacama, no Norte do Chile, nasce com novidades no currículo. Hoje mesmo é publicada na Nature e no Astrophysical Journal a descoberta de um grupo de galáxias com formação explosiva de estrelas que inclui as duas mais distantes de sempre deste tipo já identificadas. 

Estes dados novos, que resultam de uma das primeiras observações do ALMA, indicam que estas galáxias muito ativas, onde a formação de estrelas é literalmente explosiva - formam-se ali mil vezes mais estrelas do que por exemplo, na Via Láctea -, são afinal mais abundantes no universo do que se pensava até agora, afirmam os seus descobridores, que foram liderados por Joaquin Vieira, do California Institute of Technology, nos Estados Unidos.
A descoberta destas galáxias onde já estavam a formar-se estrelas mil milhões de anos depois do Big Bang, numa fase muito próxima do início do universo, vem mostrar também que o alcance do ALMA para estas observações longínquas é certeiro.
As observações foram feitas durante o período experimental do ALMA, que se iniciou em Setembro de 2011 e que decorreu até agora, com a utilização de apenas 16 antenas. Nesta altura, quando acaba de ser inaugurado, tem já 57 das 66 que vai integrar quando ficar completo, no final deste ano. O conjunto das 16, no entanto, já demonstrou que o ALMA vai poder descobrir novas galáxias, estrelas e planetas que até agora eram invisíveis aos atuais telescópios e radiotelescópios.
As galáxias massivas mais distantes que foram agora descobertas graças ao ALMA têm uma atividade muito intensa e, por vezes, estão em colisão com outras galáxias do mesmo tipo. O seu estudo detalhado poderá ser feito a partir de agora, recorrendo a este mesmo telescópio. "Estamos agora a tentar utilizar as moléculas que vemos ali para perceber como e por que motivo elas são tão ativas", explicou Justin Spilker, coautor do estudo e também investigador do California Institute of Tecnhology.
Fonte: Diário de Notícias Virtual

sábado, 9 de março de 2013

Canadá pode perder 20% glaciares até 2100

Canadá pode perder 20% glaciares até 2100
 
Um quinto dos glaciares do Canadá podem desaparecer até ao fim do século, devido ao aquecimento climático, contribuindo para uma subida do nível dos oceanos em 3,5 centímetros, apurou um estudo hoje divulgado na revista Geophysical Research Letters. 

Uma redução em 20 por cento dos glaciares canadianos até ao fim do século corresponde a um aumento em três graus Celsius da temperatura média terrestre no período.
"Mesmo na hipótese de um aumento moderado da temperatura, é muito provável que os gelos derretam a um ritmo alarmante", disse Jan Lenaerts, um meteorologista da Universidade de Utrecht, nos Países Baixos, o autor principal do trabalho, considerando "muitas fracas as possibilidades de isto se inverter", uma vez que o fenómeno parece "irreversível".
O derreter das neves na tundra e do gelo no oceano em torno dos glaciares vai intensificar o aquecimento global, com efeitos desastrosos nas calotes glaciares do norte do Canadá.
A neve e o gelo refletem os raios de sol. Com o seu desaparecimento, uma grande parte do calor daquela reflexão é absorvida pela terra e pelo oceano, o que faz aumentar a temperatura.
Mas, em torno dos glaciares canadianos, a alta seria de oito graus, estima o professor Lenaerts, que sublinhou não se tratar de um cenário extremo.

Fonte:Diário de Notícias Virtual

terça-feira, 5 de março de 2013

Hugo Chávez morreu


Hugo Chávez

Hugo Chávez
O presidente venezuelano, Hugo Chávez, morreu esta noite, anunciou o 'vice' Nicolás Maduro.
A notícia está a ser avançada pela France Press.
O líder venezuelano lutava contra o cancro e estava com uma infeção pulmonar decorrente do estado de depressão imunológica que tinha resultante dos tratamentos de químio e radioterapia.

sábado, 2 de março de 2013

Astrónomos detetam possível planeta em formação


Ilustração da formação de um planeta gasoso gigante

Ilustração da formação de um planeta gasoso giganteFotografia © Reprodução/ESO
Astrónomos no sul do Chile capturaram a primeira imagem direta de um protoplaneta, em formação junto a outra estrela e envolvido numa camada espessa de gás e pó, noticia a AFP.
Uma equipa internacional de investigadores disse que o 'disco' de gás e pó que envolve a jovem estrela HD 100546, localizada a 335 anos-luz do planeta Terra na via láctea, poderá ser um gigante gasoso semelhante a Júpiter.
"Até agora a formação de planetas tem sido um tema abordado nas simulações de computador", disse o cientista Sascha Quanz, astrónomo na universidade suíça ETH Zurich.
"Se a nossa descoberta for de facto um planeta em formação, esta será a primeira vez que os cientistas serão capazes de estudar o processo de formação de planetas e a interação no seu ambiente numa fase muito precoce", acrescentou.
Os cientistas detetaram o protoplaneta usando uma câmara de alta resolução ligada ao telescópio do Observatório Europeu do Sul (ESO) no deserto de Atacama no Chile.
Fonte:Diário de Notícias Virtual