Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Tragédia do vaivém espacial Columbia foi há dez anos


O vaivém espacial Columbia partindo do Centro Espacial Kennedy                         Fotografia © NASA/Handou - Reuters

O trágico acidente com o vaivém espacial Columbia, a 1 de fevereiro de 2003, que causou a morte de sete astronautas, levou a uma profunda reformulação de todo o programa espacial norte-americano.
O diretor da Nasa, Charles Bolden, e outros responsáveis da agência espacial norte-americana, participarão esta sexta-feira numa cerimónia de homenagem às vítimas do acidente no cemitério militar de Arlington, na Virgínia.
Na cerimónia, serão homenageados não só os sete astronautas mortos no acidente do Columbia mas também os três astronautas da Apollo 1 que faleceram num incêndio durante um exercício experimental, em janeiro de 1967, e os sete astronautas da tripulação do Challenger, que explodiu a 28 de janeiro de 1986, 73 segundos após ter decolado do Centro Espacial Kennedy, na Florida.
Explosão do Challenger em 1986
Columbia, o primeiro vaivém a voar para o Espaço (em abril de 1981), desintegrou-se durante o seu regresso à atmosfera a 1 de fevereiro de 2003. Após o acidente, a administração do então presidente norte-americano Jorge Bush decidiu reformular todo o programa espacial norte-americano mas deixar no ativo os três Space Shuttle restantes até 2011, devido aos compromissos assumidos com a construção da Estação Espacial Internacional.
Um trágico acidente
O primeiro sinal de que qualquer coisa estava errada foi a temperatura anormalmente alta, detetada pelos sensores da asa esquerda e do trem de aterragem da nave pouco depois de esta ter reentrado na atmosfera terrestre. Houston confirmou à tripulação as medições anormais e, a bordo do vaivém, o comandante Rick Husband respondeu: «Recebido mm...». E depois o silêncio. Eram 9 da manhã (hora local), 14 horas em Lisboa, do dia 1 de Fevereiro de 2003.
Pouco depois, as televisões transmitiam em directo o que parecia uma chuva de estrelas nos céus do Texas, mas depressa se percebeu que se tratava dos destroços do Columbia , que acabara de se desintegrar.
Na reentrada na atmosfera da Terra, o buraco que tinha sido aberto na cobertura térmica da asa esquerda, pelo embate de um pedaço da cobertura do tanque de combustível que se desprendeu durante o lançamento, permitiu a entrada de ar na nave, a temperaturas muito elevadas - chegam a atingir mil graus Celsius. E foi isso que causou a sua desintegração.
A comissão de inquérito determinou posteriormente que poderia ter sido tentada uma operação de salvamento dos astronautas se os responsáveis pela missão tivessem verificado, antes do sétimo dia em órbita, que os danos na asa do vaivém seriam catastróficos. A operação passaria pelo lançamento da nave Atlantis para um encontro em órbita com o Columbia, para resgatar os astronautas.
Os técnicos de lançamento aperceberam-se do incidente 81 segundos após a descolagem, mas os responsáveis da NASA decidiram não concretizar as suas propostas de uma inspecção visual da nave antes da reentrada na atmosfera. Acreditaram que os danos não teriam consequências. Tragicamente, as suas suposições não se confirmaram.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Evolução Tecnológica


A evolução do conhecimento científico e da tecnologia associada tem sido vertiginosa nos últimos 100 anos.
Crédito: IFLS
Vejam bem: em 1912, os carros utilizados eram estes; hoje não só temos incrivelmente melhores carros nas nossas estradas mas até já enviamos carros (que são laboratórios fantásticos!) que rolam sobre a superfície de outros planetas sem terem humanos a conduzi-los lá.

Conheça Rex, um andróide quase humano


O Channel 4 apresenta Rex

Fotografia © Channel 4
Tem quase dois metros de altura, órgãos artificiais e membros prostésicos. Apesar das suas feições humanas, Rex é um androide.
Bertolt Meyer, um carismático investigador da Universidade de Zurich e utilizador de tecnologia prostésica, foi convidado a reconstruir-se a si mesmo na forma de um andróide. Apoiado pela Darlow Smithson Production, uma produtora de conteúdos televisivos, em colaboração com a Shadow Rob Company, uma empresa perita em robótica, criou Rex, que é a sua cópia perfeita.
"O meu objetivo era mostrar que as próteses podem, em vez de transmitir um sentido de perda, pena e constrangimento, criar uma reação positiva", disse Meyer ao jornal britânico The Guardian.
Rex tem um sistema circulatório como um ser vivo (só que não usa sangue), um rim artificial, assim como um cérebro feito de silicone, órgãos que dependem da "pressão sanguínea" para se manter. Mas o mais surpreendente sobre esta inovadora criação é a inteligência artificial que lhe foi atribuída - o gerador de discurso colocado em Rex permite-lhe interagir com humanos.
O "nascimento" de Rex vem provar que a tecnologia está cada vez mais perto de alcançar, e até exceder, as capacidades do corpo humano. O andróide pode ser visto a 7 de fevereiro no programa "How to Build a Bionic Man" do Channel 4.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Macaco que Irão diz ter enviado ao espaço já voltou


Macaco que Irão diz ter enviado ao espaço já voltou                         Fotografia © Reuters    

 Nos anos 50, era comum os americanos usarem macacos nos seus programas espaciais e os soviéticos cães, como a famosa Laica. O Irão decidiu agora imitá-los e garante ter lançado com sucesso o foguetão Pishgam (Pioneiro, em farsi) a bordo do qual ia um macaco, que já terá regressado à Terra, segundo a televisão estatal iraniana.

De acordo com fontes oficiais citadas pelos media iranianos, o macaco terá sido lançado, dentro de uma caixa, num foguetão que, após atingir os 120 quilómetros de altitude terá regressado à Terra em segurança.
Nas imagens disponibilizadas pela Press TV, o animal aparece com um ar assustado, mas bem de saúde, sentado numa espécie de "cadeirinha", enquanto é levado por cientistas depois do seu regresso à Terra.
Veja aqui o vídeo da Press TV.
"Enviar o macaco [ao espaço] e trazê-lo de volta foi o primeiro passo para mandar humanos ao espaço", afirmou o ministro da Defesa iraniano, Ahmad Vahidi, à agência Fars.
Mas enquanto a ida do macaco ao espaço - a ter acontecido mesmo - era celebrada em Teerão, em Washington ouviam-se críticas. O porta-voz do Departamento de Estado Victoria Nuland disse à CNN que "apesar de ter visto fotografias do pobre macaco", os EUA "não têm forma de confirmar que ]o lançamento] aconteceu".

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

'Curiosity' capta primeiras imagens noturnas de Marte


Imagem noturna do solo marciano capturada pelo Curiosity

Fotografia © Reprodução/NASA
Com as imagens captadas com iluminação ultravioleta, o robô enviado pela NASA pretende encontrar minerais fluorescentes em solo marciano.
Pela primeira vez desde que chegou a Marte, em agosto de 2012, o robô 'Curiosity' utilizou a câmara instalada no seu braço para tirar fotos noturnas do solo marciano. O instrumento utiliza luzes brancas e ultravioletas para capturar as imagens.
O objetivo dos cientistas foi observar de perto, durante a noite, uma rocha chamada "Sayunei" utilizando o equipamento Mars Hand Lens Imager (MAHLI). A rocha já tinha sido raspada pela roda dianteira esquerda do Curiosity para que o material a ser examinado estivesse livre de poeira.
O local fica perto do sítio onde a equipa de cientistas planeia começar a usar o robô para perfurar uma rocha nas próximas semanas. As imagens da rocha Sayunei e do alvo do MAHLI foram captadas a 22 de janeiro e recebidas na Terra no dia seguinte.
"O objetivo de fazer observações sob iluminação ultravioleta foi procurar minerais fluorescentes ", disse o investigador principal do MAHLI, Ken Edgett, do Malin Space Science Systems, em San Diego.
"A equipa ainda está a avaliar as observações.Se algo parecia verde, amarelo, laranja ou vermelho sob a iluminação ultravioleta, que seria um indicador mais claro de fluorescência", disse.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Supersónico SpaceLiner pronto em 2050


Supersónico SpaceLiner pronto em 2050

Fotografia © Institute of Space Systems
Supersónico SpaceLiner, que ficará pronto em 2050, poderá fazer uma viagem entre Londres e Sydney em apenas 90 minutos. Isto porque conseguirá alcançar uma velocidade 24 vezes superior à do som. Será lançado com ajuda de oxigénio líquido e propulsionado a hidrogénio.
Garantem os engenheiros que o supersónico SpaceLiner será capaz de atingir 24 vezes a velocidade do som e transportar passageiros entre Londres e Sydney em 90 minutos. Chegará em 2050.
Embora até conclusão do aparelho supersónico os responsáveis pelo projeto ainda tenham um longo caminho a percorrer, Martin Sippel, o coordenador do SpaceLiner no Centro Aeroespacial Alemão, acredita que o projeto pode atrair investimento privado dentro de uma década.
O projeto atual inclui uma base de lançamento para o foguete e um avião orbital separado com capacidade para transportar até 50 passageiros à volta do mundo sem nunca se elevar para o espaço.
Uma viagem entre a Europa e os Estados Unidos teria uma duração de pouco mais de 60 minutos, proporcionando aos passageiros dispostos a pagar preços de viagens espaciais - centenas de milhares de dólares por bilhete - ultra rapidez.
Se "decolar, literalmente, não há razão para que uma esquadra de SpaceLiners não possa fazer até 15 voos por dia", acredita Sippel.

BLOGS DO ANO 2012


Hoje à meia-noite acabaram as votações do concurso Blogs do Ano 2012  promovido pelo Aventar.
O blog Fenómenos Científicos e o Nosso Planeta participou em três categorias: Ciência, Geek Blogs/Tecnologia e Blogger do Ano.
Na primeira fase de votações passámos nas categorias de Ciência e Geek Blogs/Tecnologia.
Na segunda fase de votações, na categoria de Ciência ficámos em 5º Lugar de 9 candidatos,                na categoria de Geek blogs/Tecnologia ficámos em 5º Lugar de 11 e na categoria de Blogger do Ano ficámos em 89º Lugar de 300 candidatos.
Contando todos os votos o nosso blog obteu 201 votos.
Em meu entender, este concurso foi muito produtivo, porque trouxe novos leitores ao blog e fez muita publicidade.

sábado, 26 de janeiro de 2013

Último Dia!!!!!!


Hoje é o último dia de votações do concurso Blogs do ANO.
Votem no blog Fenómenos Científicos e o Nosso Planeta nas categorias de Ciência e Geek Blogs/Tecnologia.

Sabiam que...


A luz dá a volta à Terra em 10 milissegundos (um centésimo de segundo).
A luz viaja da Terra à Lua em 1,3 segundos.
A luz viaja da Terra ao Sol em 8 minutos.
A luz viaja da Terra a Plutão em 4 horas.
A luz viaja da Terra a Próxima Centauri em 1461 dias (4 anos).
A luz viaja da Terra para o final da Galáxia em 972.000 meses (81.000 anos).
A luz viaja da Terra até ao final do Universo Observável em 47.000.000.000 anos.
Resumindo, Terra é mesmo muito pequenina…

Expansão de supernova é recriada em vídeo


Expansão da supernova GK Persei                         Desde 1901 que a expansão da supernova 'GK Persei', que se tornou um dos objetos mais brilhantes no céu, chama a atenção dos astrónomos. Imagens da expansão contínua do corpo celeste, capturadas durante mais de 60 anos, resultaram num vídeo e num modelo 3D que recriam o fenómeno.

A partir de imagens capturadas por telescópios nas Ilhas Canárias, Espanha, investigadores europeus criaram um filme que reconstitui meticulosamente a contínua expansão da supernova.
Os cientistas também construíram um modelo tridimensional dos restos deixados pela explosão. A reconstituição do fenómeno revelou que a estrela ainda está crescendo na impressionante velocidade de quase mil quilómetros por segundo.
As supernovas surgem quando o núcleo de uma estrela massiva entra em colapso, sob a pressão de sua própria gravidade. Daqui resulta uma forte erupção termonuclear, que a 21 de fevereiro de 1901 foi observada na então batizada 'Nova Persei 1901'.
A partir dessa altura, os astrónomos observaram o repentino aumento contínuo de seu brilho. A 1300 anos-luz da Terra, não muito longe em termos espaciais, a supernova tornou-se um dos objetos mais brilhantes no céu.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A Terra tem outras luas?


A nossa Lua por vezes tem um companheiro


Para espanto da maioria, a resposta é sim. Por vezes, o nosso planeta tem mais de um satélite natural. Alguns asteróides na órbita do Sol são capturados pela gravidade da Terra e transformam-se em luas temporárias. E há outros fenómenos conhecidos como "quase-satélites".

Luas são definidas como satélites naturais na órbita dos planetas, como aprendemos na escola. E há asteróides que se transformam provisoriamente em luas da Terra.
Astrónomos da Universidade Cornell, nos EUA, publicaram no ano passado um estudo a dizer que a Terra tem, por vezes, mais de uma lua temporária, a que chamaram "mini-luas". São asteróides que foram durante alguns períodos capturadas pela gravidade da Terra, seguiram órbitas complicadas em torno dela e, eventualmente, libertaram-se do nosso planeta, sendo recapturadas pela órbita do sol.
Estas pequenas luas podem ter apenas alguns metros de diâmetro e orbitam o nosso planeta por menos de um ano antes de voltar a uma órbita solar.
Algumas "mini-luas" já foram detetadas, como lembra o site especializado EarthSky. Em dezembro de 2010, Donald Yeomans, especialista da NASA, descreveu num artigo publicado na revista Astronomy um objeto que observou em 2006 e se encaixa nessa descrição.Trata-se do "2006 RH120" que, segundo o astrónomo, começou a orbitar novamente o Sol 13 meses após a sua descoberta. Mas espera-se que o objeto volte a aproximar-se e de novo seja capturado como uma "mini-lua"pela gravidade da Terra ainda neste século.
Mas há também alguns quase-satélites que não podem ser considerados uma "segunda lua".

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Universo está a ficar cada vez mais frio


Telescópios da CSIRO, na Austrália


Equipa internacional de cientistas, após medições da temperatura de gás em galáxia distante, confirma que o Universo está cada vez mais frio, como previsto pela Teoria do Big Bang.

Astrónomos da Suécia, França, Alemanha e Austrália utilizaram um rádio-telescópio da Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth (CSIRO, sigla em inglês), na província australiana da Nova Gales do Sul, para medir a temperatura de quando o Universo tinha metade de sua idade atual.
"Esta é a medida mais precisa já feita de como o Universo arrefeceu durante os seus 13,77 mil milhões de anos de história",disse o Dr. Robert Braun, cientista-chefe da CSIRO.
Como a luz leva algum tempo para trazer as imagens das galáxias distantes da Terra, como elas eram no momento em que o seu reflexo partiu de lá, quando olhamos para o espaço vemos como o Universo foi no passado.
Os cientistas estudaram um gás de uma galáxia não-identificada a 7,2 mil milhões de anos luz do nosso planeta. O que continua a manter esse gás aquecido é a radiação cósmica remanescente do brilho do Big Bang. Atrás dessa galáxia, por acaso, há uma outra, um quasar (chamado PKS 1830-211).
As ondas de rádio emitidas por esse quasar passam através do gás da galáxia em primeiro plano.Sendo assim, as moléculas de gás absorvem alguma energia das ondas de rádio. Isso confere uma "impressão digital" única às ondas de rádio.
Fonte: DN

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Estrela gigante prepara-se para colisão


Ambiente misterioso de Betelgeuse

Fotografia © Reprodução/ESA
Novas observações feitas pela Agência Espacial Europeia (ESA) revelaram múltiplos arcos entorno de Betelgeuse, a estrela vermelha gigante mais próxima da Terra. Foi identificado também um misterioso "muro" de poeira cósmica nas proximidades, com o qual a estrela e seus arcos poderão colidir dentro de 5 mil anos.
Betelgeuse está a cerca de 700 anos-luz da Terra, na constelação de Orion, e seu brilho alaranjado pode ser visto a olho nu nas noites de inverno do hemisfério norte.
Com cerca de mil vezes o diâmetro do Sol e cem mil vezes mais brilhante, Betelgeuse caminha para um fim espetacular. A estrela inchou, tornando-se uma uma super-gigante vermelha, e já perdeu grande parte de suas camadas exteriores.
Para os cientistas da ESA, sua explosão em forma de supernova está próxima, podendo ocorrer a qualquer momento num prazo de poucos milhares de anos. Quando isso ocorrer, Betelgeuse tornar-se-á um dos objetos mais brilhantes no céu, podendo ser observada inclusive durante o dia.
A estrela aparece cercada por vários arcos, formados a partir de restos de seu próprio material, numa nova imagem registada pelo observatório espacial Herschel, da ESA. Uma misteriosa estrutura linear também foi identificada nas proximidades da gigante vermelha, para além dos arcos poeirentos.
As novas observações feitas pelo Herschel indicam que a estrela se move a uma velocidade de 30 quilómetros por segundo. Se a barreira descoberta for um objeto espacial independente de Betelgeuse, uma colisão desta com o arco mais externo da estrela poderá ocorrer em apenas 5 mil anos e com a própria gigante vermelha cerca de 12.500 anos depois. Isso se antes Betelgeuse não tornar-se uma supernova a iluminar mais o céu.
Fonte: DN

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Óculos japoneses impedem reconhecimento de câmaras


Óculos japoneses impedem reconhecimento de câmaras                             

Uma nova invenção japonesa parece ter saído de um verdadeiro filme de espiões. Desta vez, os nipónicos inventaram uns óculos que protegem a intimidade da pessoa que os estiver a usar. Assim, quem utilizar o engenho pode ser identificado à vista normal, mas não quando filmado ou fotografado por um aparelho digital.

Parecendo quase uns óculos de proteção de cientistas, a invenção dos investigadores do Instituto Nacional de Informática nipónico tem como intenção proteger a privacidade de cada um. Quem coloca os óculos pode ser identificado sem problemas à vista normal, mas aparece irreconhecível em imagens gravadas por uma câmara.
A nova tecnologia pretende proteger as pessoas que são fotografas ou filmadas sem o saberem e sem terem dado a sua autorização para tal, numa resposta ao complicado assunto da proteção de privacidade. Apesar das boas intenções da invenção, já se especula nas redes sociais o que poderá acontecer se o uso dos óculos cair em mãos menos apropriadas, podendo conduzir a mais problemas do que benefícios.
Os cientistas esclarecem que devido à popularização dos computadores portáteis, muitas vezes com câmaras incorporadas, é fácil revelar informação sobre os movimentos de qualquer pessoa e ter acesso a fotografias e distribui-las pela Internet, onde podem ser vistas por todo o mundo, dando lugar a uma maior necessidade de proteção de privacidade.
A nova invenção pode então desativar o reconhecimento facial das pessoas quando são fotografadas. O "visor de privacidade", como lhe chamam os seus criadores, incorpora uma fonte de luz infravermelha que afeta somente as câmaras fotográficas ou de filmar e não a visão das pessoas.
O prototipo mostra que os óculos para já só funcionam ligados a uma bateria, - através de um cabo USB, que o utilizador poderá levar por exemplo num bolso. As luzes LED infravermelhas estão assim ativas, não sendo visíveis a olho nu, mas apenas quando se liga um câmara digital.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

7000 visualizações

Chegámos às 7000 visualizações!

 PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!

NASA descobre provas de existência de lago em Marte


A cratera, chamada McLaughlin, não tem grandes canais de afluxo de água

Uma sonda norte-americana na órbita de Marte descobriu provas de um antigo lago abastecido por águas subterrâneas, o que suporta a teoria de que já houve vida no planeta vermelho, informou a NASA.
Num comunicado divulgado ao final do dia de domingo, a agência espacial norte-americana diz que dados recolhidos pela Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) mostram vestígios de minerais argilosos e carbonatos, usualmente formados na presença de água, no fundo de uma cratera de 2,2 quilómetros de profundidade.
"Estas novas observações sugerem a formação de carbonatos e argila num lago abastecido por água subterrânea no interior da bacia da cratera", escreve a NASA, cujo artigo científico foi publicado na edição online da Nature Geoscience.
Citando "alguns investigadores", a agência escreve que "o interior da cratera onde ficava a água e a zona subterrânea que a fornecia poderão ter sido ambientes húmidos e potenciais habitats".
A cratera, chamada McLaughlin, não tem grandes canais de afluxo de água, pelo que o lago deverá ter sido abastecido por águas subterrâneas, acrescentam os cientistas.
Estas observações, diz ainda a NASA, "fornecem provas de que os carbonatos se formaram no interior de um lago e não foram arrastados para o interior da cratera desde o exterior", disse Joseph Michalski, que dirigiu a investigação.

domingo, 20 de janeiro de 2013

A história do incrível programa espacial da Zâmbia



A história do incrível programa espacial da Zâmbia
"Vamos a Marte. Com uma astronauta, dois gatos e um missionário." Assim reza o recorte de jornal que dá conta do louco programa espacial zambiano, nos anos 60 do século passado.
O sonho impossível de Edward Makuka Nkoloso, um professor de ciências zambiano, era chegar à Lua antes da Rússia e Estados Unidos. E depois a Marte. Quase 50 anos depois uma fotógrafa espanhola resgatou a memória do programa espacial amador, num livro de fotografia, 'The Afronauts', que documenta uma missão que nunca aconteceu.
Resta também uma reportagem da Sky, em que o jornalista mostra os treinos dos candidatos a astronautas. "Para a maior parte dos zambianos estas pessoas são apenas malucas. E eu estou inclinado a concordar." Mas Nkoloso chegou mesmo a pedir financiamento à UNESCO, que recusou. Veja aqui o vídeo:
A fotógrafa Cristina De Middel inspirou-se neste sonho espacial, num projeto que é um dos quatro nomeados para o prémio de fotografia Deutsche Borse de 2013.
"Afronauts é baseado na documentação de um sonho impossível que vive apenas em imagens", explica De Middel , que se confessa atraída por histórias excêntricas. Neste caso, a de um homem que se atreveu a sonhar com Marte num dos países mais pobres do mundo.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Dirigente político búlgaro foi alvo de tentativa de assassínio

Dirigente político búlgaro foi alvo de tentativa de assassínio
legenda da imagem
     O líder do partido da minoria turca na Bulgária, Ahmed Dogan, escapou hoje a uma tentativa de assassínio, quando discursava no congresso partidário. Um homem armado de uma pistola de gás e dois punhais subiu ao estrado, apontou-lhe a arma de fogo à cabeça e tentou disparar. O autor do atentado foi depois dominado.

Dogan, de 58 anos, é o dirigente histórico do Movimento para os Direitos e Liberdades (MRF), e tinha anunciado a decisão de se retirar da vida política. Dogan discursava perante o congresso, com as câmaras de filmar focadas na tribuna, quando o agressor subiu ao estrado e, praticamente à queima-roupa, tentou desfechar-lhe a pistola contra a cabeça.

O incidente foi integralmente filmado, bem como o posterior derrubamento e espancamento do autor do atentado. Segundo a polícia, trata-se de um homem de 25 anos, também membro da minoria turca da Bulgária, e residente na ciadade de Bourgas, junto ao Mar Negro.

O MRF participara em dois governos de coligação encabeçados pelo partido dos antigos comunistas búlgaros, mas tem-se encontrado, mais recentemente, na oposição ao governo de direita de Boïko Borissov.

Segundo a Agência France Press, Dogan voltou à sala quatro horas depois do atentado, aparentando boa saúde e boa disposição. Aí reiterou a decisão, já conhecida, de se retirar da política activa, e explicou-a pela "diabolização" que tem havido da sua imagem e que iria agora prejudicar o seu partido, se continuasse a encabeçá-lo nas próximas eleições.

Desta alegada "diabolização" faz parte a tese, mais recentemente surgida na imprensa, segundo a qual Dogan estaria ligado aos serviços secretos do regime comunista, até ao momento em que rompeu com este e passou à oposição, pagando essa viragem com a prisão, em 1985.

Mais de 1 636 ocorrências relacionadas com mau tempo


Mais de 1 636 ocorrências relacionadas com mau tempo

A Autoridade Nacional de Proteção Civil registou, entre as 08:00 de sexta-feira e as 07:00 de hoje, 1.636 ocorrências relacionadas com o mau tempo, que causaram apenas danos materiais.
Entre as 04:00 e as 07:00 de hoje registaram-se 403 ocorrências.
"As situações foram todas normais. Predominaram as quedas de árvores e de ramos (998) e os distritos mais atingidos foram Coimbra, Porto e Braga, por esta ordem", disse à Lusa o adjunto das operações nacionais da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Miguel Cruz.
O responsável disse ainda que se registaram "situações pontuais de desalojados resultantes de pequenas inundações e de quedas de coberturas".
A Proteção Civil colocou na sexta-feira em alerta laranja o dispositivo de operações de proteção e socorro em oito distritos de Portugal Continental (Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa e Setúbal) devido ao agravamento das condições meteorológicas.
Por seu lado, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou 15 distritos portugueses sob aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, entre as 06:00 e as 12:00, devido à previsão de ventos fortes.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

UE pode abandonar combustíveis poluentes


UE pode abandonar combustíveis poluentes

A União Europeia pode substituir a gasolina e gasóleo convencionais, usados nos transportes, por energias renováveis sem recorrer a biocombustíveis com impactes negativos no ambiente, como aqueles que aproveitam culturas agrícolas, defende um estudo ontem publicado.
O trabalho foi realizado pelo instituto de investigação holandês CE Delfta, a pedido das organizações não governamentais de ambiente europeias Greenpeace, BirdLife Europe, European Environmental Bureau e pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente e divulgado em Portugal pela Quercus.
"Os biocombustíveis de primeira geração, aqueles de produção agrícola, não são solução viável para descarbonizar os transportes", conclui a investigação.
Assim, as organizações europeias apelam ao Parlamento Europeu e aos governos dos Estados Membros para se concentrarem nas soluções propostas e "colocarem a UE no caminho de uma política mais "verde"" para transportes e combustíveis mais limpos.
Segundo os ambientalistas, as propostas avançadas no estudo permitiriam uma redução "significativa" das emissões de gases com efeito de estufa em 2020, "apoiando o desenvolvimento de indústrias inovadoras de produção mais limpa e que são uma grande fonte de emprego".
Os Estados-Membros "podem cumprir as suas obrigações sem recorrer (ou com um recurso praticamente nulo) a biocombustíveis produzidos a partir de culturas agrícolas, como a soja, a colza e a palma", acrescentam.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Mais um passo em direção ao teletransporte


Mais um passo em direção ao teletransporte                Investigadores resolveram as bases matemáticas necessárias para tornar possível o envio de informação quântica, à velocidade da luz, mais eficiente.

Físicos do Reino Unido dizem ter mostrado que o teletransporte vai ser, finalmente, possível. Os investigadores, da Universidade de Cambridge, afirmam ter feito avanços, mais teóricos, que podem abrir caminho para algo que mais parece ficção científica.
A humanidade está muito longe de construir uma máquina que nos leve de um lado para o outro do mundo, à velocidade da luz como em Star Trek. No entanto os cientistas, que publicaram o seu trabalho na revista Physical Review, demonstram, através de cálculos matemáticos, que é possível realizar tal façanha no mundo quântico.
O universo estranho, que governa o comportamento de moléculas e átomos, permite que as coisas aconteçam de uma forma tão mágica como estar em dois lugares ao mesmo tempo. Os resultados, obtidos pelos cientistas britânicos, servirão principalmente para desenvolver a tão esperada computação quântica, bem como para enviar informação a uma velocidade, hoje, impossível. O limite só o futuro poderá ditar
Sergii Strelchuk, do departamento de Matemáticas Aplicadas e Física Teórica de Cambridge, afirma: "Há uma estreita relação entre o teletransporte e os ordenadores quânticos, que são dispositivos que aproveitam a mecânica quântica para realizar cálculos que não seriam possíveis num computador clássico."
Enquanto o protocolo dos físicos de Cambridge é completamente teórico, no ano passado, uma equipa de cientistas chineses relataram que tinham conseguido teletransportar a 143 quilômetros de distância. Deste modo quebram- se todos os recordes anteriores. O teletransporte de informação, por átomos individuais, é possível de ser concebido com as tecnologias atuais. Apesar disso, teletransportar objetos, como fazia o Capitão Kirk, permanece no reino da ficção científica.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Belíssima Aurora na Noruega


A premiada fotógrafa Tracey Taylor tirou esta fotografia em Tromso, Noruega, a 15 de Janeiro de 2013.

Crédito: Tracey Taylor
Crédito: Tracey Taylor

Cometa ISON poderá ser mais brilhante que a Lua


Cometa ISON poderá ser mais brilhante que a Lua                               É muita a expectativa para a aproximação da Terra do cometa ISON, dentro de alguns meses. Este poderá surpreender e ser visto à luz do dia.

Ainda um pontinho no céu, o cometa 'C/2012 S1' foi descoberto em 21 de setembro do ano passado pelos astrónomos russos Vitali Nevski e Artyom Novichonok. Batizado de ISON, o corpo celeste logo atraiu a atenção de observadores espaciais do mundo todo. A sua órbita pode tornar-se numa das mais impressionantes da história.
Quando se aproximar do Sol, em novembro,o cometa poderá impressionar ou dececionar quem o espera. Algumas previsões otimistas apontam para que o ISON possa ser visto à luz do dia, ofuscando o brilho da Lua. Se isso ocorrer, o cometa causará uma comoção mundial. Mas também poderá seguir um caminho inesperado, se desintegrar e então não haverá espetáculo.
A 28 de novembro, o ISON passará a apenas 1,2 milhões de quilómetros do Sol, com uma velocidade de aproximadamente 725 mil quilómetros por hora. Existem dois possíveis cenários quando isso ocorrer: o cometa desintegrar-se, como ocorre com a maioria, ou prosseguir caminho. Se o a rocha espacial resistir, uma cauda radiante será formada e proporcionará um incrível espetáculo celeste jamais visto.
Ainda é cedo para ter certezas. Apenas no verão os astrónomos já saberão se o ISON é mesmo tão promissor. As estimativas iniciais apontam que ele será mais brilhante que Marte e alguns ainda sugerem que o cometa poderá superar em muito o brilho lunar. Desta forma, poderá ser visto durante o dia ao lado do Sol. O hemisfério norte teria a melhor vista do espetáculo. Só nos resta esperar para ver...ou não.

Última década foi a mais quente desde 1880


Última década foi a mais quente desde 1880


A última década foi a mais quente que o planeta conheceu desde que se começaram a fazer registos de temperaturas em 1880, indicaram na terça-feira climatólogos dos EUA, noticia a agência AFP.
Com exceção de 1998, os nove anos mais quentes foram registados depois de 2000, com 2010 a ser o que teve a temperatura mais elevada, seguido de perto por 2005.
A temperatura média mundial subiu cerca de 0,8 graus centígrados desde 1880.
Um climatólogo da agência espacial norte-americana (NASA, na sigla em Inglês), Gavin Schmidt, destacou que "a temperatura de um ano não é em si significativa, mas o que conta é o facto de a última década ter sido mais quente que a precedente e estar mais quente que a anterior".
A conclusão desta tendência é a de que "o planeta está a aquecer, devido a que as pessoas emitem cada vez mais dióxido de carbono para a atmosfera".
O ano 2012 foi o nono mais quente, com uma média de 14,6 graus Celsius, mais 0,6 graus que o verificado no meio do século XX, segundo os números mais recentes do Instituto Goddard para os Estudos Espaciais (GISS, na sigla em Inglês), da NASA.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Ducentésima publicação

Fizemos a nossa ducentésima publicação!

PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!

Últimas imagens de sonda antes de colidir com a lua


Imagem da lua captada pela Ebb

 A NASA revelou um vídeo com as últimas imagens captadas pela sonda Ebb antes de colidir com a lua no dia 17 de dezembro.

O vídeo foi gravado pela câmara MoonKAM, a bordo da Ebb, no dia 14 de dezembro.
No momento em que as imagens foram captadas a sonda estava a cerca de 10 km do hemisfério norte da lua, nas imediações da cratera Jackson.

Investimento em energias renováveis caiu em 2012


Investimento em energias renováveis caiu em 2012                                Os investimentos mundiais em energias renováveis desceram onze por cento em 2012, devido a quedas em mercados como os Estados Unidos e a Europa, mas o panorama não é tão mau como se temia, segundo um relatório publicado ontem.

No ano passado, 201,2 mil milhões de euros foram investidos em projetos de renováveis, enquanto em 2011 o investimento tinha sido de 226 mil milhões, de acordo com o estudo da empresa Bloomberg New Energy Finance.
Mesmo assim, 2012 foi o segundo melhor ano de sempre para o investimento neste tipo de energias, com um valor cinco vezes superior ao verificado em 2004, ressalva a agência financeira Bloomberg.
O diretor da BNEF, Michael Liebreich, afirmou que o aspeto mais surpreendente das conclusões é o facto de "a descida não ter sido maior", assinalando que 2012 foi um ano "turbulento" para as energias renováveis devido às "incertezas sobre as políticas de apoio ao setor, a crise financeira na Europa" e à descida dos preços na tecnologia.
Espanha foi um dos países onde o investimento mais desceu, com uma quebra de 68 % em relação a 2011 para 2,2 mil milhões de euros, devido a uma moratória imposta pelo governo de Madrid aos subsídios a projetos de energias renováveis.
Nos Estados Unidos, o investimento caiu 32 % para 33 mil milhões de euros.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Casa Branca responde à petição para se construir uma Estrela da Morte


Houve uma petição de um grupo de cidadãos americanos para o Governo Americano construir uma Estrela da Morte, similar à de Star Wars que podia destruir planetas?

Agora, a Administração Obama deu a resposta:
we the people
A resposta, que pode ser lida aqui, é brilhante!