Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Sistema binário tem planeta na zona habitável


Imagem artística do que poderá ser o sistema de Kepler-47



Descoberta mostra que conjuntos de dois sóis podem ter à sua volta mundos com órbitas suficientemente estáveis.
No planeta Tatooine, com dois sóis, decorrem algumas das cenas mais memoráveis do primeiro filme da Guerra das Estrelas. Numa cena belíssima, assistimos ao duplo pôr-do-sol. Na altura, anos 70, a ideia podia ser muito cinematográfica e os efeitos especiais eram impressionantes, mas a parte científica era duvidosa, pois os astrónomos consideravam improvável a existência de planetas habitáveis num sistema binário, onde as forças gravitacionais são bem mais destrutivas.
Há um ano foi anunciada a descoberta de um planeta num sistema binário. Uma equipa de astrónomos divulgou agora uma descoberta que mostra a diversidade do Universo, tendo identificado todo um sistema, com pelo menos um planeta na chamada zona habitável, nem demasiado próximo das estrelas nem demasiado longínquo para poder ter água no estado líquido.
A estrela principal do sistema binário é semelhante ao Sol (um pouco menos brilhante) e a estrela menor tem um terço do tamanho e brilho de apenas 1%. Em cada semana que passa, do ponto de vista da Terra, verifica-se um eclipse destes dois enormes objetos.
O sistema Kepler-47 situa-se a 4900 anos-luz da Terra, na constelação do Cisne. Tem pelo menos dois planetas: um interior, que orbita as duas estrelas em 50 dias, e um exterior, o Kepler-47c, cuja órbita dura 303 dias.
Segundo explica o cientista que liderou este estudo, Jerome Orosz, da Universidade de San Diego, as órbitas são muito diferentes das que existem no sistema solar, pois o eixo está em movimento. "Os intervalos de tempo entre os trânsitos [o planeta passa à frente da estrela e reduz a sua luminosidade, sendo assim detetado a partir da Terra] e a sua duração podem variar substacialmente, sendo por vezes curtos, por vezes compridos".

terça-feira, 28 de agosto de 2012

2 MIL

2 MIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Chegámos às duas mil visualizações!!!!!!!!!!!!!!!


PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Google+

Esta é a nossa página no Google+:https://plus.google.com/b/103874216578108742189/103874216578108742189/posts

Isacc


Isaac solicita avisos de furacão da Louisiana a Flórida

MIAMI (AP) - Avisos de furacão foram emitidos para uma área que se estende da Louisiana para a Flórida Panhandle como Isaac bidões em direção à costa do Golfo.

As advertências se estendia do leste de Morgan City, Louisiana - o que inclui a área de Nova Orleans - para Destin, na Flórida

Isaac criticou as Florida Keys como uma tempestade tropical no domingo, trazendo chuva e ventos fortes. Mas os moradores para a maior parte entraram no ritmo. No entanto, os preparativos começaram mais ao norte, como os meteorologistas alertam Isaac poderia ser um forte furacão de categoria 2 no momento em que atinge a costa do Golfo.

Os EUA Centro Nacional de Furacões em Miami, diz Isaac é esperado para chegar em algum lugar entre sudeste Eds: APNewsNow. As atualizações com novos detalhes a partir de 5 consultivo da tarde. Consultivo próxima esperado em 08:00 EDT.

Isaac solicita avisos de furacão da Louisiana a Flórida

MIAMI (AP) - Avisos de furacão foram emitidos para uma área que se estende da Louisiana para a Flórida Panhandle como Isaac bidões em direção à costa do Golfo

As advertências se estendia do leste de Morgan City, Louisiana - o que inclui a área de Nova Orleans - para Destin, na Flórida

Isaac criticou as Florida Keys como uma tempestade tropical no domingo, trazendo chuva e ventos fortes. Mas os moradores para a maior parte entraram no ritmo. No entanto, os preparativos começaram mais ao norte, como os meteorologistas alertam Isaac poderia ser um forte furacão de categoria 2 no momento em que atinge a costa do Golfo.

Os EUA Centro Nacional de Furacões em Miami, diz Isaac é esperado para chegar em algum lugar entre Louisiana do sudeste e do Panhandle da Flórida ou na terça-feira ou quarta-feira.

domingo, 26 de agosto de 2012

Curiosity conclui o primeiro passeio marciano


Os rastos do robô em Bradbury


NASA decidiu baptizar como Bradbury o local onde pousou a máquina, para homenagear o escritor de ficção científica Ray Bradbury
Foram só mais cinco metros, após 500 milhões de quilómetros através do espaço, mas o pequeno passeio do robô Curiosity, ontem, em solo marciano, contituíu um verdadeiro triunfo para a ciência. A máquina avançou, rodou e depois recuou um pouco. Os especialistas da NASA falaram em "grande momento" e as agências ironizaram com o "test drive" da máquina.
O robô tem os sistemas importantes operacionais e pode deslocar-se na superfície do planeta vermelho. O objetivo da missão de dois anos é avaliar se alguma vez Marte teve condições para albergar vida. As imagens do passeio marciano começaram entretanto a chegar e mostram uma paisagem repleta de rochas, com as marcas das rodas do robô já impressas no solo e, ao fundo, o objetivo da máquina, o Monte Sharp.
Até agora, só foi descoberto um sistema provavelmente avariado após um impacto com uma pedra: trata-se do sensor de vento. Pelo contrário, o braço robótico do Curiosity funciona, bem como o sofisticado aparelho que permite vaporizar a superfície das rochas e determinar o seu conteúdo químico.
Entretanto, o controlo de missão anunciou um pequeno toque sentimental. Aproveitando o aniversário do nascimento do escritor Ray Bradbury (falecido em julho, com 91 anos), a NASA decidiu baptizar a zona onde pousou a Curiosity com o nome do escritor. Ray Bradbury foi autor de mais de 50 livros e um dos seus livros mais famosos é o clássico de ficção científica "Crónicas Marcianas", onde imaginou um mundo habitado por humanos e marcianos, inóspito, violento e melancólico.

Irão surpreende e lançará macaco ao espaço nos próximos dias


O Irão não é exatamente uma potência espacial, mas também não está poupando esforços para isso. Com o objetivo de aprimorar seu conhecimento nesta área estratégica o país agora pretende lançar um macaco em voo suborbital e trazê-lo são e salvo de volta à Terra.



A data de lançamento ainda não foi definida, mas de acordo com o último comunicado da agência espacial iraniana, ISA, o lançamento do foguete estava previsto para acontecer após o Ramadã (mês sagrado islâmico), que terminou em 19 de agosto.
Essa não é a primeira vez que o país mostra interesse em colocar animais em órbita. Em janeiro de 2012 um foguete do tipo Saffir levou ao espaço a cápsula Kavoshgar-3, tendo a bordo minhocas, um rato e duas tartarugas. O ponto significativo foi que os animais retornaram à Terra em segurança, demonstrando que o país já detém, pelo menos parcialmente, capacidade de retornar cargas do espaço.
O próximo voo pretende levar ao espaço um macaco da espécie Rhesus (macaca Mullatta), um primata da família Cercopithecidae que habita as florestas temperadas da Índia, China e Afeganistão. Pelas suas características os rhesus são extensivamente estudados e usados em experiências laboratoriais, sendo que o fator sanguíneo Rh foi primeiro demonstrado em macacos dessa espécie.



Se tudo der certo e o macaco for trazido com segurança a Terra, o experimento deverá ser o maior avanço do programa espacial iraniano. "Isso deverá demonstrar a capacidade do país de trazer cargas científicas colocadas em órbita, o que não é tão simples assim", disse o especialista em uso militar do espaço Bhupendra Jasani, ligado ao King’s College London. "Apesar de ser um grande avanço, a colocação de humanos no espaço deverá levar ainda alguns anos", completou. Jasani.
As incursões iranianas na exploração espacial têm surpreendido os especialistas internacionais devido à sua velocidade e capacidade de sigilo. O país já lançou três satélites domésticos e um quarto está para ser lançado nos próximos meses. Atualmente, o Irã é o nono país com capacidade de colocação de satélites em órbita baixa e o sexto a enviar animais para o espaço.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Marte: raio laser vaporizará rochas a 7 metros de distância


Uma dos mais importantes instrumentos a bordo do jipe-robô Curiosity é a ChemCam, um verdadeiro laboratório geoquímico capaz de vaporizar rochas a 7 metros de distância com auxílio de um canhão laser. Esse feixe de luz é tão concentrado que sua energia equivale a 1 milhão de lâmpadas focalizadas na cabeça de um alfinete.

ChemCam significa Chemistry and Camera Instrument e combina dois dispositivos em um único equipamento. O primeiro é o LIBS (Laser-Induced Breakdown Spectrometer), um sistema laser de alta potência acoplado a um telescópio e um espectrômetro. O segundo é a câmera remota RMI (Remote Micro Imager). O propósito do LIBS é analisar as rochas e o solo marciano, enquanto o RMI tem a função de fornecer aos cientistas as imagens de alta-resolução das amostras observadas pelo LIBS.
Quando em funcionamento, uma área previamente escolhida pelos pesquisadores é focalizada pelo instrumento e então recebe uma série de pulsos de laser de altíssima intensidade, que pode atingir até 10 megawatts por milímetro quadrado. Esses pulsos não podem ser vistos pelo olho humano e são emitidos no comprimento de onda de 1.067 mícrons, no espectro do infravermelho.


Sob intenso bombardeio energético os átomos do material analisado são excitados e emitem luz. Esses pulsos luminosos são captados pelo telescópio do instrumento e enviados para dentro do jipe-robô Curiosity onde são analisados pelo espectroscópio. Como cada elemento químico emite luz de comprimento de onda diferente quando aquecido, a composição química da rocha pode então ser determinada. Como exemplo, o cobre produz luz verde, o alumínio cor azul, o sódio amarelo, o lítio vermelho, etc.

Ao realizar uma missão a Marte, o tempo é altamente precioso e usa-lo com eficiência é uma necessidade. Na era dos robôs Spirit e Opportunity eram necessários de dois a três dias para determinar a composição de uma rocha, já que o material precisava ser colhido e colocado dentro dos robôs para serem analisados.
Agora, com a nova tecnologia laser não há necessidade de contato físico com a rocha, que pode estar até 7 metros de distância do instrumento. De acordo com a equipe da ChemCam será possível realizar cerca de uma dúzia de análises por dia, o que sem dúvida é um grande avanço para conhecer um pouco mais sobre a composição do planeta Vermelho.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

O primeiro slogan!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Este é o nosso primeiro slogan: "Sempre a informar o Mundo"

Brasileiros criam plantas resistentes à seca


Brasileiros criam plantas resistentes à seca

Investigadores brasileiros estão a testar em laboratório plantas transgénicas capazes de resistir a longos períodos de seca, numa resposta às preocupações suscitadas pelas alterações climáticas.
"O projeto começou a partir da pesquisa do genoma da planta do café. Nesse estudo, que contou com mais de 100 investigadores, identificámos os 30 mil genes do café e, a partir daí, cada grupo passou a pesquisar uma característica específica", afirmou à Lusa o investigador Eduardo Romano, ao explicar que o seu grupo ficou com a missão de estudar os genes associados à resistência à seca.
Após ser identificado, esse gene foi isolado e testado numa planta-modelo, de uma espécie semelhante à mostarda, com o nome científico Arabidopsis thaliana.
"As plantas que receberam o gene sobreviveram 40 dias sem água, enquanto as que não o receberam morreram após 15 dias sem água", disse Eduardo Romano, que integra a equipa científica da Empresa Brasileira de Pesquisa Agrícola (Embrapa), onde o projeto é levado a cabo.
Graças aos resultados animadores obtidos nas primeiras experiências, a descoberta será testada agora em cinco culturas comerciais, entre elas alguns dos principais produtos de exportação brasileira: cana-de-açúcar, soja, arroz, trigo e algodão.
De acordo com o investigador, exemplares dessas cinco espécies já receberam o gene especial e estão a ser observadas em laboratório. Após o nascimento das primeiras plantas transgénicas, as sementes serão novamente testadas em laboratório para, só então, a partir de uma seleção das melhores amostras, serem iniciados testes de campo.

NASA vai lançar novo robô em Marte em 2016


Imagem de Marte tirada pelo Curiosity

IA NASA prevê lançar, em 2016, um novo robô em Marte para investigar o seu interior, já que o "planeta vermelho" evoluiu de forma tão diferente da Terra, apesar de ambos serem rochosos.
A nova missão, cujo anúncio foi feito na segunda-feira, chamar-se-á "InSight" e viajará equipada com instrumentos destinados a averiguar se o núcleo de Marte é sólido ou líquido, como o da Terra, e por que é que não está dividido em placas tectónicas como o do "planeta azul".
Segundo a agência espacial norte-americana, citada pelas agências de notícias internacionais, ter um conhecimento mais detalhado do interior de Marte, para poder compará-lo com a Terra, ajudará os cientistas a entenderem melhor como se formaram os planetas rochosos e por que motivo evoluíram de maneira tão diversa.
Contrariamente ao robô "Curiosity", um veículo de seis rodas que aterrou há duas semanas em Marte e que vai percorrer durante dois anos a cratera de Gale em busca de eventuais vestígios de vida passada, o robô "InSight" não será móvel.
Em comunicado, o diretor da NASA, Charles Bolden, frisou que "a exploração de Marte tornou-se numa das prioridades" para a agência espacial, assinalando que o recente êxito da aterragem do robô Curiosity "impulsionou o interesse do público" pela exploração do Espaço.
"A escolha de InSight garante que vamos continuar a decifrar os mistérios do 'planeta vermelho', para lançar as bases para uma futura missão habitada [humana]", acrescentou Bolden.

domingo, 19 de agosto de 2012

Os piores desastres ambientais feitos pelo homem


O ser humano é capaz de coisas magníficas, tanto para o bem quanto para o mal. Vamos focar aqui nas coisas extraordinariamente ruins que aconteceram por culpa das pessoas e que destruíram o meio ambiente de forma avassaladora. Acidentes ou tragédias planejadas que custaram muitas vidas de diversas espécies (inclusive humana), sendo que em alguns deles custam até hoje.
desastres ambientais bhopal
O desastre de Bophal – Tragédia é pouco para este caso, onde mais de 27 mil pessoas morreram. A Union Carbide era uma fabricante de pesticidas norte americana que tinha uma fábrica na Índia. A matriz, insatisfeita com os retornos financeiros da indústria, impôs cortes de orçamento, inclusive na área da segurança. Na madrugada de 3 de dezembro de 1984 40 toneladas de gases tóxicos foram liberados, contaminando mais de 500 mil pessoas que moravam na região. Para piorar a empresa negou qualquer tipo de vazamento, deixando médicos sem idéia de como tratar seus pacientes. A UC foi comprada pela Dow Química, que também se recusa a informar exatamente que componentes químicos vazaram.

Atualmente cerca de 150 mil ainda sofrem com os efeitos da contaminação e aproximadamente 50 mil pessoas estão incapacitadas para o trabalho, devido a problemas de saúde. É o maior desastre industrial já ocorrido.

A água e o solo das proximidades da fábrica foram muito contaminados. Um estudo realizado cinco anos após a tragédia mostrava que tanto o solo quanto a água eram tóxicos. Até hoje a água consumida pelos moradores locais é fornecida através de um sistema especial de abastecimento.

desastres ambientais continente de lixo
Continente de lixo no Oceano Pacífico – É inegável que o estilo de vida que adotamos cria uma grande quantidade de lixo. Isso pode ser visto atualmente no Oceano Pacífico, onde correntes marítimas criaram um verdadeiro continente de lixo do tamanho do estado norte americano do Texas (696 241 km²). Grande parte dos detritos levados pela chuva e pelos rios vai parar nos oceanos e esta corrente aprisiona o que vem do oeste americano e do leste asiático.

O plástico compõe 80% dos detritos encontrados e por ser fotodegradável ele se deteriora ao boiar exposto ao sol. Isso está criando uma espécie de areia de plástico que já está aparecendo nas ilhas do Pacífico. O impacto na vida selvagem é enorme pois peixes e aves confundem o lixo com comida e a mortalidade é grande. Mesmo quando estes peixes não morrem a quebra do plástico libera químicos tóxicos, que ficarão nos peixes que depois serão consumidos. A única maneira de acabar com esse tipo de fenômeno seria mudar nosso estilo de vida, algo que cada um precisa fazer por si só, além de cobrar medidas governamentais.

Alguns projetos tentam limpar a área. O Ocean Conservancy, em uma expedição feita por voluntários para limpar a área, em setembro de 2008, retirou 6,8 milhões de toneladas de lixo. Uma reportagem do canal ABC mostrou como estava a situação na área. Você pode assistir clicando aqui.

desastres ambientais mar de aral
O encolhimento do Mar de Aral – Ele já foi o quarto maior lago do mundo com 68.000 km². Atualmente está reduzido a menos de 10% de seu tamanho. Em 1918 o governo soviético desviou parte das águas dos rios que alimentavam o Mar de Aral para aumentar a produção de alimentos e algodão. Em 1940 criaram-se novos canais de irrigação. A técnica rudimentar levava a perda de até 75% da água desviada em vazamentos e evaporação.

As poucas águas que sobraram se tornaram altamente poluídas por causa de testes com armamentos e projetos industriais, além do uso massivo de pesticidas. O processo de desertificação local está criando diversos problemas para as populações locais. As plantações estão sendo destruídas pelo sal depositado sobre a terra. O vento tem soprado o sal e partículas do solo poluído para outras áreas, causando danos à saúde pública e alterações climáticas.

Alguém lembrou da transposição do Rio São Francisco aqui no Brasil?

desastres ambientais exxon_valdez
Exxon Valdez – Este é o nome do navio que em 24 de março de 1989 derramou cerca uma quantidade entre 50.000 m³ e 150.000 m³ de crude (forma não processada do petróleo) no mar ao bater em um arrecife no Golfo do Alasca. Consequentemente milhares de animais morreram nos meses que se seguiram. Estima-se que 250.000 pássaros marinhos, 2.800 lontras marinhas, 250 águias, 22 orcas, e bilhões de ovos de salmão foram vítimas deste desastre.

desastres ambientais Chernobyl.png
Acidente nuclear de Chernobyl – No dia 26 de abril de 1986 o quarto reator da usina sofreu uma catastrófica explosão de vapor, causando um incêndio, diversas explosões e um derretimento nuclear. Foi produzida uma nuvem de radioatividade que atingiu a União Soviética, Europa Oriental, Escandinávia e parte do Reino Unido. A contaminação foi 400 vezes maior que a da bomba de Hiroshima. Duzentas mil pessoas foram evacuadas de suas casas.

Como a contaminação ainda causará o câncer em muitas pessoas é difícil estimar o número de mortos em consequência do acidente. Acredita-se que 4 mil pessoas morrerão de doenças relacionadas. Ao todo 47 trabalhadores morreram no acidente e 9 crianças tiveram câncer de tireóide.

desastres ambientais golfo persico
Derramamento de óleo no Golfo Pérsico – Durante a Segunda Guerra do Golfo, em 1991, o ditador Saddam Hussein viu que iria sair derrotado de sua invasão ao Kuwait. Ele mandou seus soldados explodirem poços de petróleo e derramarem o que conseguissem nas águas do Golfo Pérsico. Estima-se que cerca de 1,75 bilhões de litros de petróleo foram jogados na água, criando uma mancha de 6.787 km² que chegava a ter 13 centímetros de espessura em algumas partes.

A vida selvagem local foi gravemente afetada, onde animais morreram aos milhares. Pássaros migratórios e tartarugas marinhas estavam entre os mais afetados. Estudos recentes mostram que a área ainda não se recuperou do dano causado.
desastres ambientais love canal
Contaminação em Love Canal – Situada próxima às Cataratas do Niágara, o local foi projetado para diversão, natação e canoagem no início do século XX. Nos anos 1920 foi vendido à Hooker Chemical Co. para servir de depósito de resíduos. No período entre 1942 e 1953 foram depositados mais de 21 mil toneladas de produtos químicos como DDT, solventes, PCB, dioxinas e metais pesados. Quando a capacidade do aterro se esgotou a empresa cobriu tudo com terra. Como a ocupação populacional estava a pleno vapor o conselho escolar precisava construir um novo colégio, por isso foi até a Hooker e comprou o terreno, mesmo sabendo que haviam resíduos tóxicos enterrados. A empresa se cobriu realizando a venda por 1 Dólar e deixando uma cláusula no contrato afirmando que em caso de problemas com a contaminação ela não seria processada.

A escola foi construída e no final da década de 1960 já existiam em Love Canal 800 moradias, 240 apartamentos e 3 escolas. Mesmo com as reclamações dos moradores de lixo que aparecia nos jardins e do forte cheiro as autoridades nada faziam, até que diversos problemas de saúde surgiram entre os que lá moravam. Doenças como leucemia, problemas respiratórios, nos rins, abortos espontâneos, deficiências em recém-nascidos, etc. eram comuns.

Exames na água identificaram 82 compostos, dos quais 11 potencialmente carcinogênicos. Em 1978 a zona foi declarada como área de emergência médica e seus moradores realojados. A escola foi fechada. Mesmo com a cláusula, a Hooker teve que pagar 98 mil Dólares ao Estado de Nova Iorque e 129 mil ao governo federal, além de uma indenização de 20 mil aos residentes.

desastres ambientais golfo do mexico
Vazamento de óleo no Golfo do México – A explosão da plataforma Deepwater Horizon aconteceu no dia 20 de abril de 2010. Depois de passar dois dias em chamas ela afundou e até o dia 1 de junho de 2010 ninguém conseguiu impedir o vazamento. Mesmo que ainda não existam números oficiais estima-se que estejam sendo jogados no oceano entre 1.900.000 e 3.000.000 litros de petróleo por dia.

Apesar do grande número de barreiras criadas para evitar a chegada do óleo à costa, já é possível ver animais cobertos de petróleo e peixes mortos. Mais de 34 mil pássaros afetados pelo desastre já foram contabilizados. Até o dia 30 de maio já foram encontrados mortos 491 pássaros, 227 tartarugas marinhas e 27 golfinhos.  Estudiosos acreditam que a toxicidade do petróleo e a baixa concentração de oxigênio na água causados pelo vazamento possam causar um desastre ambiental ainda maior. Vamos torcer para que consigam logo fechar o vazamento.

sábado, 18 de agosto de 2012

TERRAMOTO!!!!!!!!!!!



Houve um terramoto no arquipélago dos Açores.


14/08 12:31 UTC
região da ilha dos Açores, Portugal
Magnitude: 4.6 graus
Profundidade: 10 km
Energia: 105 Tons de TNT
(0 Bombas atômicas)
Imagery ©2012 TerraMetrics, Map data ©2012 Google, Tele Atlas - Terms of Use

Map
Satellite
Hybrid
500 mi
500 km